NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Abrindo caminhos

A psicóloga Marta Lúcia Trugilho percebeu grandes mudanças para sua vida e seu consultório ao seguir o feng shui. Abaixo, o baguá, mapa em formato octogonal em que cada ponto representa áreas importantes da vida

Foto: Lucas Benevides

Há uma técnica milenar originária da China que promove a harmonia entre edificações e as pessoas que frequentam aquele ambiente. O feng shui, traduzido livremente como “vento” e “água”, prega há mais de 4 mil anos que, quando esse equilíbrio ocorre, as pessoas são beneficiadas com prosperidade, saúde e boa sorte. No ambiente de trabalho, esses benefícios estendem-se para a produtividade, estabilidade dos negócios e ainda melhora na relação entre os funcionários.

“Muito antes de se falar em ecologia, o feng shui já pregava o equilíbrio das formas, a necessidade de cuidado com a natureza e seu entorno, e incentivava o consumo consciente e a prática da gentileza no ambiente. De acordo com a filosofia do feng shui, quando a forma e o espaço estão organizados, a sorte tem as portas abertas para frequentar o lugar. Para garantir estes benefícios, o principal trabalho de um consultor de feng shui é investigar e favorecer o equilíbrio entre o vento (feng) e a água (shui), que representam pensamento e sentimento respectivamente, tanto do ambiente quanto dos seus frequentadores”, explica Lou Fernandes, mestre em Ciência da Saúde (UFRJ) e especialista em feng shui tibetano. 

Segundo Lou, quando aplicada no ambiente de trabalho, esta técnica pode contribuir para a concentração, motivação e criatividade de quem frequenta aquele espaço, que deve inspirá-lo a produzir com beleza, equilíbrio, visando o seu sucesso e dos clientes.  

“Em uma mesa de trabalho é preciso evitar a desorganização, a bagunça, o excesso de papéis sem uso, o acúmulo de poeira, alimentos e bebidas, e qualquer objeto que desarmonize ou traga lembranças de projetos que não foram à frente ou que remetem à falta de sucesso”, aconselha a profissional. 

A fim de identificar o que precisa ser harmonizado nos ambientes, utiliza-se o “baguá” – uma espécie de mapa com formato octogonal no qual cada ponto é chamado de “guá” e representa as áreas mais importantes das nossas vidas. Cada guá tem seu elemento, cor, forma e significado, e pode ser ativado com o uso de objetos e cores específicos. No guá do relacionamento, por exemplo, pode-se colocar peças em dupla, fotos com sócios, clientes e amigos que ajudam no trabalho, enquanto no da criatividade, Lou aconselha potencializar a energia da mesa de trabalho colocando o desenho de uma criança no canto da mesma. 

“No guá da fama e reputação, o ideal são objetos que nos fazem aparecer, e por isso indico uma luminária. O guá da saúde é localizado no centro da mesa, portanto o mesmo deve estar sempre limpo e organizado. Já no guá da riqueza, devemos colocar objetos que nos lembrem fluxo e crescimento, como plantas e fontes; enquanto no da família, a ‘raiz’, indico o uso de um cristal ou de uma foto bem alegre da família que lhe inspire a enfrentar qualquer obstáculo. Por último, o guá do conhecimento e da sabedoria é um convite à meditação e à paz, portanto, ter do seu lado direito livros e imagens de coisas que te tragam sabedoria melhora a energia do dia e do espaço”, ensina.

A psicóloga e coach Marta Lúcia Trugilho percebeu as transformações que o feng shui trouxe para a sua vida e seu consultório, como abundância financeira, sucesso, leveza e equilíbrio, e como elas influenciam a sua relação com os pacientes.

“Ao me energizar, me equilibrar, trabalhar todos os meus setores, estou mais plena para o meu paciente, e acabo orientando-o com os princípios do feng shui que uso para mim. Quando eles chegam, meu ambiente está energizado – quem chega aqui sai melhor do que entrou. Consegui me harmonizar, tranquilizar, ficar bem leve, e, com isso, fazer com que as pessoas que estão à minha volta se sintam dessa maneira. Percebo muitos benefícios na minha vida, inclusive no setor financeiro. Esse equilíbrio me traz abundância e sucesso”, reconhece Marta.

O designer de interiores Thiago Herrera diz que as questões abordadas no feng shui estão presentes no design contemporâneo, que se preocupa, antes de mais nada, com a harmonia dos ambientes, e considera o fluxo de energia do espaço, das cores muito importantes.

“A prática do feng shui vai se incorporando aos conceitos ocidentais e hoje já forma amálgama onde equilíbrio, harmonia e bem-estar devem estar sempre presentes nos projetos, favorecendo o alcance da paz e da felicidade”, pontua Thiago. 

Scroll To Top