NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Inventando moda

Silvana trabalha com roupas para deficientes e andantes desde 2013

Foto: Lucas Benevides

A observação de alguém especial, muita força de vontade e muito trabalho. Essas são algumas das características que definem a estilista Silvana Louro, que lançou uma coleção de roupas para portadores de deficiência. Entre os diferenciais, Silvana desenvolve as mesmas peças com modelagem tradicional e adaptada, trazendo como marca registrada para seu trabalho a inclusão social.

Como surgiu a ideia de lançar essa coleção com modelagens adaptadas para portadores de deficiência?
Sou estilista e gerente de projetos, mas estava afastada do ramo da moda há uns cinco anos. Participei de um projeto esportivo no Maracanã (Rio 2016), onde tive contato com alguns paratletas, e com meu olhar de estilista percebi que eles tinham muitas dificuldades com as roupas. Realizamos uma pesquisa para sugerir mudanças nos uniformes para a prática de atividades esportivas e, com uma pausa no projeto, como eu estava com um material muito bacana, resolvi adaptá-lo.

Há quanto tempo você vem desenvolvendo este projeto?
Há quatro anos, mas só consegui sair da parte de pesquisas para a prática em dezembro de 2013.

Como tem sido a venda da coleção e a aceitação dos consumidores para as peças?
A coleção está praticamente esgotada em pouco mais de um mês de lançamento do site, e ainda estamos construindo a marca. Vamos crescer muito mais. Sentimos no feedback dos clientes a surpresa positiva pelo design, qualidade e praticidade das peças. A possibilidade das modelagens adaptadas e não adaptadas juntas favorece a inclusão e fortalece a autoestima daqueles que necessitam, para seu conforto, de algumas adaptações nas suas roupas.

Você disponibiliza as peças para venda online, acredita que essa ferramenta também contribui para o maior interesse dos portadores de necessidades especiais?
Acho que tanto a venda online como a que acontece em lojas físicas tem seus prós e contras. O bacana seria que os deficientes pudessem sair mais, terem total acessibilidade, vestiários e banheiros adaptados em todos os locais para poderem usufruir plenamente das suas experiências de compras. Sabemos que nem todas as lojas físicas são adaptadas e um cadeirante, muitas vezes, não tem como provar a roupa. Assim, comprar pela internet acaba facilitando, mas não é o que eu gostaria de ver. Gostaria que todas as lojas físicas fossem preparadas e que eles tivessem a internet apenas como mais uma opção de compra e não a única. Nós pretendemos ter lojas físicas nesse formato em breve.

As adaptações feitas nas roupas foram pensadas em parceria com algum especialista neste segmento? Como foi este processo?
Sim, tive a consultoria de dois fisioterapeutas. Precisei entender os pontos de atrito nos corpos, como funcionam as articulações, além da rotina dos cadeirantes. E também vi muitas novidades lá fora. Fomos cortando panos e experimentando na nossa modelo de prova cadeirante, Flávia Pacheco. 

A coleção criada por Silvana Louro traz peças com modelagens tradicionais e adaptadas para portadores de necessidades especiais

Foto: Lucas Benevides

Além do zíper, que facilita a troca de roupa do portador de deficiência, quais as outras adaptações?
A mais importante é o design curvo, seguindo o desenho de uma cadeira. Essa adaptação deu muito trabalho para a modelagem. As calças compridas, por exemplo, que existem no mercado têm o design reto, nós também temos calças compridas nesse design para aqueles que andam ou ficam de pé, porém aqueles que não se levantam têm muito mais conforto no design curvo, já que ameniza os pontos de atrito como joelhos, têm o cós traseiro mais alto, revestido em malha macia para não ferir a pele, retiramos os bolsos traseiros que não são necessários, adequamos a bainha e retiramos excessos de tecido também. Tem ainda outra questão, muitos cadeirantes precisam usar sonda e o zíper mais longo lateral é um diferencial, um grande facilitador na rotina deles. Tive um depoimento de uma mãe emocionada porque seu filho, que tinha as articulações comprometidas em função da paralisia cerebral, sentia dores quando tinha de se vestir, com os zíperes nos ombros das blusas, na lateral das calças e a jaqueta com zíper destacável, que abre as mangas do punho até os ombros, ajudou bastante no seu dia a dia.

O conforto também é outro detalhe importante nas peças? 
Sim, é essencial. As roupas precisam ter tecidos macios, de qualidade e fáceis de lavar e secar. Vale ressaltar que a mesma coleção com modelagem adaptada é encontrada também com a modelagem tradicional. Com isso, convidamos todos para uma experiência de compra com inclusão. Nosso conceito é atender todos. Assim como existem modelagens específicas para gestantes, bebês, plus size, nossas propostas são modelagens diferenciadas para também atender aos portadores de deficiência. Estamos trabalhando no desenvolvimento de etiquetas em braile e mais adaptações que atendam a pessoas com síndrome de Down. A moda é um importante canal de comunicação e qualidade de vida. Acredito em um trabalho inteligente, que possibilite atender a todos, sem exceção. 

Scroll To Top