NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Para todos os gostos

Com a chegada do verão, as praias, locais superdemocráticos, voltam a ser o pico para quem pretende descansar, praticar esportes ou apenas jogar conversa fora

Foto: Divulgação

A estação mais quente do ano chegou e nada melhor do que aproveitar um dia na praia para aliviar a tensão da rotina do dia a dia, além da diversão, do bronze e da brisa agradável. Ir à praia é um verdadeiro programa! Um lugar democrático onde as pessoas são livres para fazer diversas coisas para passar o tempo. Nesses dias quentes de janeiro, nada melhor do que ir para a praia pela manhã e só sair após o pôr do Sol. As opções são diversas, de quem curte praticar esportes, passando para quem prefere ficar na roda de amigos conversando e tomando banho de mar, e aqueles que vão apenas para relaxar.

Quem ama passar o dia na praia, com certeza já se deparou com uma roda de amigos batendo aquela bolinha à beira-mar. A famosa altinha é uma tradição nas orlas do país, e agrega lazer e exercício físico para homens, mulheres, idosos e até crianças. Habilidade, controle de bola e equilíbrio corporal em um jogo de equipe para deixar a bola o maior número de vezes no alto. A altinha se caracteriza por unir as noções básicas do futevôlei, em forma de círculo, valendo quaisquer movimentos tais como chutes, joelhadas e cabeçadas.

"O objetivo principal é não usar as mãos, não deixando a bola cair, da maneira mais bonita possível. Vale aproveitar os ombros, cabeça e os pés, em rápidas bicicletas, voleios e "shark attacks" (jogada ofensiva mais difícil para o companheiro defender). Uma das características mais interessantes da altinha é que não existe uma competição entre os jogadores, mas sim um espírito cooperativo, já que um precisa do outro para jogar. Essa é razão principal do esporte", explica Daniel Carvalho, jovem morador de Itaipu, que toda semana joga uma altinha nas praias niteroienses.

A estudante Bruna Collaço, de 22 anos, se acostumou tanto com a altinha, que se apaixonou. Para ela, não existe pisar na areia sem ter uma bola consigo.

"O esporte exige um excelente preparo físico. É um esporte que trabalha coordenação motora, mobilidade das articulações, reflexo e todos os músculos do corpo. Segundo alguns estudos da área, pode-se queimar até 500 calorias por hora jogada", finaliza o profissional.

Nesses dias quentes de janeiro, nada melhor do que ir para a praia pela manhã e só sair após o pôr do Sol

Foto: Divulgação

Também tem pessoas que preferem algo mais calmo para refletir a vida. Olhar o pôr do Sol ouvindo uma música, caminhada na beira do mar e até ler um livro. É o caso de Maria Lúcia Pires, de 24 anos. Ela trabalha pela manhã, e na parte da tarde, principalmente agora com o horário de verão, ela aproveita o fim da tarde para relaxar em Itacoatiara com os seus livros inseparáveis.

“Sempre tenho duas opções: ou vou com um pessoal bem grande, bebo mate e água de coco, ou vou sozinha, porque moro perto da praia, coisa que até prefiro. Então vou de qualquer forma. Eu nunca tomo bebidas alcoólicas na praia, não acho vibe alguma nisso. Sempre levo duas garrafas d'água e, claro, meus livros. A melhor coisa do planeta é ficar de frente para o mar com um livro na mão e uma música no ouvido. A sensação que tenho quando chego na praia e fico de frente para o mar é de humildade. Me sinto tão pequena perto da imensidão de água e, ao mesmo tempo, tão grata por ele me proporcionar refrescar o dia quente ”, detalha.

Scroll To Top