NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Preparados para vencer desafios

Felipe Silveira e Fernando Gavazzoni praticam o montanhismo há mais de dez anos e destacam os incentivos para melhoria no acesso às trilhas

Foto: Lucas Benevides

Se exercitar sem o confinamento da academia respirando ar puro e em contato com a natureza. É isso que propõe o montanhismo. A prática vem conquistando cada vez mais adeptos. E, com o aumento da procura pela atividade, cresce também a preocupação com a segurança dos praticantes.

Segundo Leandro do Carmo, presidente do Clube de Montanhismo de Niterói, a prática do esporte registrou aumento bastante significativo no último ano. “Com a internet e as redes sociais, o aceso à informação fica mais fácil e as pessoas acabam conhecendo um pouco mais sobre a prática e se interessando pelo esporte”, diz.

O clube é o único da cidade, e foi fundado em 2004 por um grupo de pessoas que já praticavam montanhismo no Rio de Janeiro e trouxeram a prática para Niterói. Atualmente o grupo conta com 89 associados entre sócios e guias voluntários (sócios também, mas que servem de guia para as atividades por terem mais experiência). Os encontros são realizados mensalmente e há ainda atividades que são abertas em datas específicas.

Para fazer parte do clube é necessário cumprir alguns pré-requisitos por conta da natureza do esporte, que é considerado de alto risco. As saídas costumam ser mais frequentes no Parque Estadual da Serra da Tiririca, por estar próximo do Costão de Itacoatiara e do Mourão. 

“O montanhismo é um esporte de contato intenso com a natureza e isso que é o mais gostoso na prática. Além disso, também é importante para a saúde e proporciona um grande mudança para quem pratica com regularidade”, pontua Leandro.

Os amigos Felipe Silveira e Fernando Gavazzoni praticam montanhismo há mais de 10 anos. A paixão por esportes também fez com que a dupla criasse um serviço de “assessoria esportiva”, que além de contar com academia, oferece serviço de esportes outdoor, entre eles o montanhismo.

Eles explicam que hoje, principalmente em Niterói, o acesso às trilhas está cada dia mais facilitado devido uma maior organização e fiscalização, que tem ocorrido nos parques municipais, com guaritas de guardas-florestais como suporte. “O acesso às trilhas está mais fácil para todo mundo, desde aqueles que estão começando a praticar até os mais experimentes. Esse é um dos motivos que têm contribuído para um maior número de interessados”, afirma Fernando. 

“Niterói está cheio de picos para a prática do esporte. Há trilhas no Parque da Cidade, no Complexo da Serra da Tiririca e na Pedra do Elefante. Então, todos podem estar praticando o montanhismo nessas trilhas, de acordo com a complexidade de cada uma”, acrescenta. “Tem espaço para todo mundo aqui em Niterói, desde o mais iniciante até o mais experiente. Mas a gente sempre aconselha a quem está começando ficar acompanhado de alguém mais experiente, porque mesmo sendo uma trilha fácil, pode acontecer acidente. É legal pedir informação antes para os guardas-florestais presentes nas trilhas e estar com uma roupa adequada”, complementa Felipe.

Integrantes do Clube do Montanhismo realizam diversas atividades em grupo durante o ano - Para Leandro do Carmo, o contato com a natureza é um dos atrativos do esporte

Foto: Arquivo pessoal

Fernando e Felipe destacam ainda que o montanhismo traz grandes recompensas tanto para o corpo quanto para a mente. Além dos benefícios da atividade aeróbica, que melhora a frequência cardiorrespiratória e tônus muscular, o percentual de gordura também é reduzido. “Além disso, estar em contato com a natureza é melhor do que estar dentro de um ambiente de academia. É mais agradável”, acredita Felipe.

Fernando ainda pontua que o esporte não só faz bem para a saúde mas também ajuda na autoestima. “A partir do momento em que se vence um desafio que se julgava não conseguir, o praticante traz essa motivação de vencer para a vida, então, se sente mais forte, mais confiante e mais preparado para o dia a dia, tendo mais segurança para enfrentar os desafios da rotina”, conclui. 

Scroll To Top