NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Central do Brasil recebe ação sobre doação de leite materno

A SuperVia e a Fiocruz se unem neste mês de maio, para celebrar o Dia Mundial de Doação de Leite Humano, destacando que a maternidade é celebrada para além do dia das Mães. A ação tem o objetivo de mostrar a importância que as mulheres que amamentam têm para a sobrevivência de milhares de recém-nascidos em todo o país. Nesta terça-feira(21), das 7h às 17h, especialistas da Rede de Bancos de Leite Humano do Rio de Janeiro estarão na estação Central do Brasil conversando com as passageiras a respeito da campanha nacional “Doe leite, alimente a vida”, do Ministério da Saúde.

O objetivo é informar, tirar dúvidas, conscientizar e incentivar as mulheres em fase de amamentação a doarem o excesso de leite humano produzido para alimentar bebês prematuros, de baixo peso ou portadores de patologias, internados nas Unidades de Terapia Intensiva Neonatais (Utins) e que não podem ser amamentados pela própria mãe. Durante o dia, as mulheres que passarem pela Central terão a oportunidade de se tornarem doadoras. Os demais passageiros poderão colaborar doando frascos de vidro com tampa de plástico diretamente na estação.

Todo leite materno coletado nos bancos passa por um rigoroso controle de qualidade, antes de ser distribuído, e é fornecido de acordo com as necessidades de cada criança. Toda mulher que amamenta é uma possível doadora, basta estar saudável e não tomar nenhum medicamento que interfira na amamentação. Por isso, quem estiver amamentado e quiser doar, basta procurar o banco de leite humano mais próximo ou ligar para o SOS Amamentação, através do número 0800 026 8877.

De acordo com relatórios do Centro de Referência Nacional de Bancos de Leite Humano,  sediado no Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz), de janeiro a abril de 2019, a quantidade de mulheres doadoras caiu 10% em relação ao mesmo período de 2018. No entanto, o número de bebês receptores de leite aumentou quase 5%. O Rio de Janeiro possui 17 bancos de leite humano. Para atender todos os lactentes internados no estado são necessários, em média, 3.400 litros de leite humano.

Sobre a Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano

Criada por iniciativa do Ministério da Saúde e da Fiocruz, a Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano (rBLH-BR) é a maior e mais complexa do mundo, sendo composta por 225 BLHs em operação. A média nacional é de 45 bancos de leite por macrorregião do país. Além disso, estão disponíveis 212 postos de coleta, além da coleta domiciliar disponível em alguns estados. Desenvolvida há 34 anos, a estratégia brasileira tem como foco a promoção, a proteção e o apoio ao aleitamento materno até os 2 anos de vida, sendo de forma exclusiva até os 6 meses de idade. Em 2018, os Bancos de Leite do país coletaram mais de 215 mil litros de leite, beneficiando aproximadamente 185 mil recém-nascidos.

Scroll To Top