22
Qui, Out

Parceria da UFF e Ministério da Saúde leva agilidade às UPAs em meio à pandemia

A escolha das UPAs beneficiadas pelo projeto foi feita a partir da situação epidemiológica dos estados - Foto: Divulgação

Coronavírus
Typography
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

A ampliação diária dos casos confirmados de COVID-19 no Brasil e no mundo torna inevitável o aumento no número de atendimentos à população nas emergências do país. Considerando essa realidade, a Universidade Federal Fluminense firmou uma parceria com o Ministério da Saúde no intuito de melhorar e acelerar o atendimento em 50 Unidades de Pronto Atendimento 24h (UPAs) do Brasil, através da implementação da ferramenta de gestão ‘Lean Healthcare’. A escolha das UPAs beneficiadas pelo projeto foi feita a partir da situação epidemiológica dos estados, além de alguns critérios essenciais de elegibilidade como estrutura, governança institucional e características das unidades.

A iniciativa envolve pesquisadores da UFF que atuam nos campi de Niterói e Rio das Ostras. A equipe conta com oito docentes, quatro discentes de graduação, um discente de pós-graduação lato sensu e dois discentes de doutorado, dos seguintes cursos: Biotecnologia, Enfermagem, Engenharia Civil, Engenharia Industrial e Engenharia de Produção. O grupo também conta com a participação de três pós-doutorandos da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Universidade Federal do Pará (UFPA), além de um especialista em apoio técnico na implantação do método.

Coordenador do Laboratório Design Thinking, Gestão e Engenharia Industrial (LabDGE-UFF) e do projeto “Lean nas UPAs” junto à universidade, o professor Robisom Calado explica que o termo 'Lean' foi utilizado pela primeira vez no Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT/EUA) com o objetivo de descrever os passos para melhorar continuamente a eficácia de sistemas de operações e serviços através da eliminação de desperdícios e mudança de cultura.

“A metodologia Lean Healthcare se baseia nos conceitos e aplicação de métodos e boas práticas enxutas nos processos de atendimento em saúde. Usa uma abordagem colaborativa e humanizada para melhorar o fluxo contínuo do processo de acolhimento, focando no que agrega valor e aumentando a qualidade sob a ótica do paciente. Ela tem se mostrado uma boa opção estratégica na área médica e no Sistema Único de Saúde (SUS). O projeto ‘Lean nas UPAs 24h’ também propõe implementar o ‘fast track’, ou seja, o fluxo ágil de atendimento, através da equipe interna de melhoria contínua, com a intenção de reduzir a superlotação”, declara.

O reitor Antonio Claudio Lucas da Nóbrega explica que essa parceria surgiu da constante busca da UFF em cooperar com as políticas públicas no Brasil. “Tenho articulado em muitas frentes, apresentando as competências e habilidades instaladas na universidade para expandir e aprofundar nossas ações de interesse para a sociedade. Esse projeto já vinha sendo construído há alguns meses para a qualificação das atividades das UPAs e ganhou maior relevância e urgência com a chegada da pandemia ao país. Estamos de frente juntos nessa luta pelas vidas dos brasileiros”.

O diretor da Fundação Euclides da Cunha (FEC), Alberto Di Sabbato, que representa a UFF na organização dessa cooperação, reforça que a ação é resultado da interlocução do reitor com dirigentes do Ministério da Saúde, quando foram identificadas áreas de interesse em que a universidade poderia contribuir com a pasta. “Atualmente, estão em execução projetos desenvolvidos em três frentes que se somam aos esforços no combate ao novo coronavírus. Além do ‘Lean nas UPAs’, também estamos promovendo a avaliação de equipamentos médicos de monitoração à vida em estabelecimentos assistenciais de saúde e o acompanhamento de pacientes egressos de internações nas unidades hospitalares do SUS. A FEC, na qualidade de instituição de apoio, participa do acompanhamento aos coordenadores dos projetos, que são docentes da casa, e do gerenciamento das ações administrativas e financeiras destes projetos”.

A metodologia Lean já é uma realidade no sistema moderno de gestão hospitalar, sendo utilizada em renomados hospitais do mundo. “O projeto ‘Lean nas UPAs 24h’ será realizado para o cumprimento de três metas: desenvolver habilidades organizacionais, apoiar estratégias de gestão e a condução das equipes na reorganização dos processos; por fim, monitorar e apresentar resultados. Através da participação dos profissionais, é possível melhorar a atenção ao paciente, reduzir a superlotação e organizar uma rede de assistência para dar suporte aos hospitais que fiquem próximos àquela unidade”, pontua Robisom.

O período de implantação do projeto será de seis meses, com visitas técnicas em cada uma das 50 UPAs e mais seis meses de acompanhamento dos resultados alcançados. Nesse primeiro momento, as unidades qualificadas são dos estados do Ceará, Distrito Federal, Goiás, Maranhão e São Paulo. Fizemos o diagnóstico e já temos o resultado de recursos e estrutura existentes em cada uma das unidades. “Há duas semanas iniciamos as visitas técnicas, elaboramos um cronograma de implementação e mapeamos as oportunidades de melhoria. Nosso próximo passo é iniciar a capacitação em Lean Healthcare e posteriormente avançar para UPAs de todo o Brasil. As equipes de melhoria formadas por servidores das emergências vão aprender como aperfeiçoar os seus processos no atendimento através de assessoria dada por colaboradores técnicos especializados em Lean Healthcare”, destaca Robisom.

Segundo o pesquisador, o Departamento de Atenção Hospitalar e de Urgência e da Secretaria de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde já entende que a abordagem Lean traz resultados positivos para os atendimentos de emergência. “Existem outras excelentes abordagens estratégicas de qualidade e melhoria contínua no atendimento, mas essa metodologia se destaca pelos resultados obtidos, pela agregação de valor para o paciente e a humanização da cultura na saúde. Com a participação dos pesquisadores especialistas nas áreas de engenharias e saúde, já estamos implantando o ‘Lean Healthcare’ junto aos gestores e às equipes de profissionais das UPAs. Neste momento, são realizadas as capacitações e a assistência na aplicação dos métodos que contribuirão para que aqueles profissionais de saúde que estão na ponta tenham uma tomada de decisão mais eficaz”.

Robisom destaca que este é um projeto de pesquisa diferenciado. “Nossa expectativa de sucesso está alicerçada na expertise científica, técnica e de gestão na área, e no reconhecimento do esforço e experiência dos especialistas na metodologia Lean. O projeto está se destacando como referência na área de saúde e engenharia por demandar integração, parceria e confiança entre os pesquisadores e o Ministério da Saúde. É estratégico, econômico, humano e de bom senso implementar o Lean Healthcare, considerando as atuais circunstâncias. Somos gratos pela oportunidade de servir aos pacientes e à sociedade como um todo”, finaliza.

Inscreva-se através do nosso serviço de assinatura de e-mail gratuito para receber notificações quando novas informações estiverem disponíveis.