NITERÓI/RJ
Min:   Max:
Luiz Vieira

O presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas de Niterói, Luiz Vieira, fala sobre o movimento do comércio na cidade e como as mudanças na economia impactam no desenvolvimento do setor

Nova medida, mais empregos

Por Luiz Vieira, presidente da CDL Niterói

Luiz Vieira, presidente da CDL Niterói

OFluminense

Essa semana, foi divulgada uma medida provisória que pretende aumentar o número de jovens, de 18 a 29 anos, empregados. A medida faz parte do programa Verde e Amarelo e pretende incentivar a contratação para o primeiro emprego com carteira assinada e, consequentemente, movimentar a economia do país. Como resultado, reduziria entre 30% e 34% o custo dessa modalidade.

Os beneficiados devem estar dentro do teto de 1,5 salário mínimo e não podem ter histórico de carteira assinada (aqui não cabem trabalhos como jovem aprendiz e contratos de experiência). O prazo máximo dos contratos será de 24 meses e o funcionário terá todos os direitos garantidos, como férias e 13º salário.

Por parte das empresas, ficarão livres da contribuição patronal, das alíquotas do Sistema S e do salário-educação. E o limite será de 20% de funcionários na modalidade, aplicado somente para novas contratações. Com isso, o governo espera melhorar o mercado de trabalho e gerar 1,8 milhão de novos empregos e assinar 10 milhões de contratos até o final de 2022. Se espera, que ao final de três anos, cerca de 4 milhões de pessoas sejam beneficiadas.

A medida desonera o encargo das empresas e, ao mesmo tempo, incentiva as novas contratações. Apoiamos e enxergamos uma melhora na atividade econômica, gerada pela diminuição dos encargos das empresas. Isso, com certeza, vai possibilitar que o empresário invista na empresa e que os negócios cresçam.

No futuro, ainda pode se estender também para os trabalhadores com mais de 55 anos e para um projeto que estimule a contratação de pessoas com deficiência. Além da possibilidade de incluir a fiscalização orientadora: em uma primeira visita o fiscal faria um alerta ao empresário e, na segunda visita, se não houver a adequação, seria aplicada a multa. Com isso, temos a oportunidade de corrigirmos a situação. Por enquanto, com a medida atual, já ganhamos fôlego para continuar investindo e gerando emprego no país.

E aguardamos os próximos desdobramentos. Unidos somos mais fortes.

Scroll To Top