NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Porto do Açu projeta aquecimento

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque (à esquerda), visitou obras no Porto do Açu, em São João da Barra

Divulgação

Presidentes das principais empresas do Complexo do Porto do Açu, no município de São João da Barra, no Norte Fluminense, se reuniram, nesta semana, com o secretário de Desenvolvimento Econômico, Emprego e Relações Internacionais, Lucas Tristão. Em pauta, o planejamento estratégico do empreendimento, região com maior PIB per capita do estado em razão da exploração de petróleo na Bacia de Campos.

"Este é um projeto estruturante para o Rio de Janeiro, por sua capacidade de atrair investimentos e gerar emprego e renda", observou o secretário, lembrando que as quatro maiores petroleiras em atividade no país - Petrobras, Equinor, Shell e Galp - estão em atividade na região.

"Entre os investimentos em andamento está a construção do maior complexo termelétrico a gás natural da América Latina, pela GNA. Além disso, o Porto de Açu tem potencial para se tornar o maior porto do Brasil. E o que é melhor, ainda há espaço para novos investimentos na região", afirmou.

Carlos Tadeu Fraga, CEO da Prumo Logística, lembrou que o projeto é eminentemente vinculado ao Rio de Janeiro, assim como todas as atividades do grupo, que estão concentradas no estado. De acordo com o executivo, o Complexo do Açu se encontra, atualmente, em sua segunda fase de desenvolvimento.

"A primeira fase foi a de consolidação da infraestrutura. A segunda fase começou este ano, a de desenvolvimento do hub de gás natural, e irá gerar cerca de 100 mil postos de trabalho nos próximos anos", disse.

Segundo Fraga, a terceira fase, a de maior poder de transformação, ainda está por vir.

"Será a fase da chegada, na região, das indústrias que vão transformar os insumos disponíveis, como unidades de petroquímica e siderurgia, por exemplo. Esta será a fase de maior potencial de atração de investimentos e geração de emprego e renda", afirmou.

Novo app de entregas em Niterói

O aplicativo de entregas James já pode ser usado na cidade

O aplicativo de entregas James já pode ser usado na cidade

Ricardo Rollo/Divulgação

Chegou a Niterói, nesta semana, mais um aplicativo especializado no serviço de entregas de produtos, com gama entre compras de supermercados, lojas de conveniência, restaurantes, entre outros. Criado em Curitiba, em 2016, o James Delivery foi a primeira startup brasileira a entregar encomendas de multisserviços. O app já funciona no Paraná, São Paulo e Fortaleza.

Mediação de Conflitos em pauta

A Associação do Comércio Exterior do Brasil (AEB) inaugura, na próxima segunda (26), a Câmara AEB de Mediação de Conflitos - a primeira no Brasil em entidade empresarial. A iniciativa terá como objetivo atuar em controvérsias relacionadas a questões de comércio exterior entre entes privados nacionais e estrangeiros. O evento, que terá início às 15h, reunirá profissionais do setor na sede da Sociedade Nacional da Agricultura, que fica na Av. General Justo, 171. Sua criação visa oferecer às partes celeridade na decisão de litígios, flexibilidade, entre outras melhorias.

Investimentos em franquias

A Let's Eat, rede que mescla fast food e culinária gourmet, participa pela primeira vez da Franchise4U, feira de franquias que reúne grandes players, em um único dia, para uma rodada de negócios com futuros franqueados. Através do site https://www.franchise4u.com.br, os interessados podem agendar reuniões para o próximo dia 29, no Hotel Prodigy Santos Dummont, no Centro do Rio, para conhecer mais sobre modelos da franquia. O investimento inicial varia de R$ 330 mil a R$ 500 mil, com um retorno de investimento estimado de 18 a 24 meses.

Scroll To Top