NITERÓI/RJ
Min:   Max:

São Gonçalo: estudante acha bebê abandonado sob carro

Recém-nascido, ainda com cordão umbilical, teria passado noite ao relento

Agentes do Samu e policiais militares foram chamados por estudante universitário para socorrer o bebê abandonado

Divulgação/Prefeitura de São Gonçalo

Uma criança recém-nascida foi salva por um estudante, na manhã desta terça-feira (27), sob um carro estacionado na Rua Belo Horizonte, no bairro Porto da Madama, em São Gonçalo. O bebê, do sexo masculino, aparentava ter nascido poucas horas antes.

Quem notou a presença, por volta de 7h30, foi o estudante de Educação Física Allan Farias, de 29 anos, que mora nas proximidades e estava indo para a faculdade. Inicialmente, o rapaz pensou se tratar de um filhote de algum animal. Quando percebeu que se tratava de um bebê, o sentimento foi de emoção e também indignação.

"Eu estava mexendo no celular e ouvi um gemido. Pensei que fosse um bicho e fui procurar, foi quando vi que era um neném. A primeira reação é de susto. É uma situação de covardia, a gente nunca pensa que vai encontrar uma criança assim", relatou o rapaz.

Imediatamente, Allan pediu que sua mãe, Maria José, segurasse a criança enquanto ele buscava por socorro. O estudante acionou o Serviço Móvel de Atendimento de Urgência (SAMU) e a Polícia Militar (PM).

"Quando vi que era um bebê, corri, voltei em casa e peguei uma toalha para enrolar ele e vi que estava gelado. Estava com a placenta e o cordão umbilical ainda. Assim que encontrei, pedi para minha mãe me ajudar para que eu ligasse para a polícia. Minha mãe ficou muito emocionada. Fiquei muito nervoso quando o socorro demorou para atender, o bebê deve ter passado a noite toda ali", acredita.

Policiais militares do 7º BPM (São Gonçalo) foram os primeiros a chegar, realizaram os primeiros socorros e enrolaram a criança em um lençol até a chegada dos médicos. Em seguida, a ambulância do SAMU levou o menino ao Pronto-Socorro Infantil Darcy Vargas, no bairro Zé Garoto.

Para alívio de todos, o bebê chegou bem à unidade de saúde. O menino, que pesa 2.785 quilos e tem 48cm, encontra-se estável, realizou exames de sangue, e passou por procedimentos médicos. A médica do SAMU Giovana Almeida explicou como foi o procedimento realizado até a chegada ao hospital.

"Fiquei muito assustada na hora, mas a gente fez o máximo que podia e fizemos nossa parte. Estou muito feliz que conseguimos salvar o menino", disse. Segundo a equipe médica, o bebê não nasceu prematuro.

Todos os envolvidos na jornada para salvar o recém-nascido se emocionaram. A policial militar Juliana Soares foi a uma loja, nas proximidades do pronto-socorro, comprar roupas para a criança. A dona da loja, sensibilizada, não cobrou.

Na unidade de saúde, as enfermeiras e o próprio Allan batizaram o bebê como Pedro. O estudante revelou que deseja manter contato com a criança e se tornar padrinho dele. Outro policial militar que atendeu à ocorrência, o aspirante Marcio Braga, contou que já há fila para adotar Pedro.

"Tenho muita vontade de ser pai e esta é uma situação que me chocou. O Pedro fez sucesso, quatro policiais do batalhão já manifestaram a vontade de adotá-lo", disse.

Pedro foi transferido, ainda na tarde desta terça, para a maternidade do Hospital Universitário Antonio Pedro (Huap). Após a alta hospitalar, o menino será entregue ao Conselho Tutelar, que encaminhará a criança para uma família, onde receberá todos os cuidados até que ela seja adotada. A ação faz parte do programa "Família Acolhedora", da Prefeitura de São Gonçalo.

A investigação sobre o abandono do bebê será conduzida pela 73ª DP (Neves), que tentará localizar os pais da criança que, assim que identificados, responderão criminalmente. O aspirante Braga afirmou que buscas já foram feitas nas proximidades do local onde Pedro foi deixado, mas sem sucesso.

Scroll To Top