NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Centro de Valorização da Vida em prol do Setembro Amarelo

UFF recebe o 2º simpósio Setembro Amarelo UFF: construindo caminhos

O Centro de Valorização da Vida (CVV) está com promovendo diversas atividades para a bordar o tema do Setembro Amarelo, campanha para conscientizar a população sobre a prevenção do suicídio. Nos dias 09 e 10 de setembro, acontece o "2º simpósio setembro amarelo UFF: construindo caminhos", ambos os dias as atividades ocorrem de 8h30 às 17h.

Alan Lima, voluntário do movimento CVV de Niterói, fala como o tema é primordial para a saúde mental das pessoas.

"O Setembro Amarelo nasceu justamente por ser um tema tabu, pois muitas pessoas evitam falar sobre suicídio, solidão e sofrimento. É extremamente importante ter um mês para conversarmos sobre a prevenção do suicídio. Os dois dias do 2° Simpósio Setembro Amarelo serão propositivos, com vistas a buscar alternativas, descobrir caminhos para essa questão, dentro e fora da UFF. Para tanto, estamos com palestrantes de outros locais para trazer experiências e pensarmos num modo de fazer em Niterói, com os diversos atores dessa questão na cidade", conta Alan que ainda completa sobre o movimento.

Na segunda (9), após o credenciamento, terá a palestra "A Influência do Ambiente de Trabalho na Saúde", com Alan Teixeira Ilma, Psicólogo Clínico do Serviço Psicologia Aplicada da UFF, e César Vinicius Alves Afonso, Psicólogo da Perícia Médica. De 10h30 às 11h "Estresse, ansiedade, burnout e depressão: Onde estão? O que são? Como evitar?', será debatido com a Psicóloga da Seção Psicossocial Fernanda Pimentel Pessanha. Para fechar o dia de atividades, haverá um debate geral com o tema "O que podemos ou fazemos para reduzir os índices de suicídio e os problemas que levam ao seu risco?", de 14h às 17h. Durante todo o dia haverá uma Exposição de Pôsteres.

A programação da terça (10) começa às 8h50 com a palestra "Comunicação Não Violenta", sendo ministrada pela advogada Bianca Ethernal contando com a colaboração de Carla Albuquerque, Cristina Cantergiani, Sônio Pontes e Thayana Meirelles. ÀS 9H30, a doutora em Psicologia, Catarina Mendes, e a professora Adjunta do Instituto de Psiquiatria da UFRJ, Andrea Deslandes, irão palestrar sobre "Corpo e Saúde Mental". De 10h às 10h30 a palestra da vez será "Espiritualidade", com a palestrante Rose Mary Costa Rosa Andrade Silva, doutora em Psicologia Social. "Práticas Integrativas e as possibilidades de apoio na Saúde Mental", esse será o tema da palestra que será feita por Gleyce Moreno Barbosa, Professora da Faculdade de Farmácia da UFF. Finalizando o dia, de 14h às 17h, a palestra "Abertura para o Grupo de Trabalho: Vamos Construir Caminhos!", será comanda pela pro-cientista Ana Maria Feijó. Durante todo dia haverá diversas oficinas e ações práticas integrativas de saúde.

Ações da prefeitura- A Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Niterói vai organizar atividades em Unidades de Saúde e outros espaços públicos da cidade, durante o mês de setembro, como parte da campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio. 

Nas Policlínicas Regionais irão ocorrer encontros de sensibilização com os profissionais de saúde. O objetivo é capacitá-los para que seja oferecido o acolhimento necessário para os pacientes acometidos por transtornos que possam levar ao ato suicida.

"O indicado é que o usuário que apresentar fragilidade emocional tenha suas queixas escutadas pelo profissional da unidade com atenção, afeto e sem interrupção, e que seja encaminhado para os dispositivos especializados com psicólogos e psiquiatras da rede”, destaca a secretária de Saúde, Maria Célia Vasconcellos.

O foco da rede de Saúde de Niterói é trabalhar no âmbito da prevenção. As unidades da Atenção Básica estão articuladas para referenciar essa demanda. São 7 ambulatórios de saúde mental estão disponíveis para o tratamento adequado, com médicos psiquiatras, psicólogos, assistentes sociais e terapeutas ocupacionais, como explica o psicólogo e coordenador de Saúde Mental de Niterói, Carlos Castro.

“Trabalhamos o paciente para que ele não chegue a ponto de cometer o suicídio, por isso estamos promovendo a capacitação dos nossos profissionais para que se atentem aos menores detalhes que possam evoluir essa tentativa. Estamos desenvolvendo, também, projetos pilotos em relação a prevenção aos suicídios e violência auto provocada em escolas municipais, a fim de atingir um público bastante vulnerável como as crianças”, informou o coordenador.

Scroll To Top