NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Inclusão no mercado de trabalho

Rede de supermercados emprega mais de 1.100 pessoas com deficiência

A companhia enxerga nesta iniciativa uma oportunidade de ter, em seu quadro, colaboradores compromissados e que valorizem o trabalho

Paulo Jose Lopes Ferreira / Divulgação

Atualmente, a Lei de Cotas de PCD determina a obrigatoriedade de contratação de pessoas com deficiência para qualquer empresa com 100 ou mais empregados. Mesmo assim, ainda há resistência no processo de contratação. Mas, na Cencosud Brasil, quarta maior supermercadista do país e detentora das bandeiras GBarbosa, Perini, Mercantil Rodrigues, Bretas e Prezunic, apenas em 2019, foram contratados mais de 120 profissionais com esse perfil.

O grupo emprega, ao todo, mais de 1.100 profissionais com deficiências de diferentes níveis, que podem ser classificadas em física, auditiva, visual e mental. A companhia enxerga nesta iniciativa uma oportunidade de ter, em seu quadro, colaboradores compromissados e que valorizem o trabalho.

"Todos são bem-vindos, independentemente da deficiência que possuem. O RH é especializado em selecionar cada um para a vaga correta de acordo com a habilidade, basta que o candidato tenha os requisitos necessários para o cargo", destaca Fábio Oliveira, gerente de Responsabilidade Social da Cencosud Brasil.

Política de Diversidade e Inclusão

A rede se destaca pela adoção de uma política de diversidade e inclusão, que incentiva a contratação e o respeito aos diferentes perfis de colaboradores, em relação à idade, gênero, etnia, orientação sexual, nacionalidade e também a pessoas com deficiência (PCD).

Para facilitar o contato com clientes e colaboradores surdos, a Cencosud Brasil disponibilizou o curso e-learning sobre a Língua Brasileira de Sinais (Libras). Ele faz parte do plano de capacitação disponível a 100% da companhia, que pode ser assistido durante o horário de expediente com duração de pouco mais de duas horas.

Prezunic

No caso do Prezunic, no Rio de Janeiro, a rede adotou o sistema de entrevistas de emprego em Libras, a partir de uma parceria com Instituto Nacional de Educação de Surdos, que capacitou duas recrutadoras da empresa para realizar as seleções com candidatos surdos.

Contratada por meio da entrevista em Libras, Mara Luz, 49 anos, é auxiliar de operações no Prezunic Barra, trabalho que garante seu sustento e o de sua filha, a estudante Thaís, de 18 anos.

"Foi a primeira vez que participei de um processo seletivo na minha língua", diz Mara. "A entrevista em Libras me deixou mais segura e aumentou as minhas chances".

Diagnosticado com mielomenincocele - malformação congênita na coluna vertebral - Alessandro Paulo da Silva, 36 anos, trabalha como auxiliar de operações no Prezunic Caxias Centenário, e diz se sentir acolhido na empresa, onde atua há 11 anos.

"Cheguei a ficar 3 anos desempregado e vendi doces na rua, até surgir a oportunidade de trabalhar no Prezunic. Aqui, sou parte de uma família e conto com apoio dos colegas e da chefia", afirma Alessandro.

No Prezunic Botafogo, Jovaldo Farias, 62 anos, faz da atrofia na mão esquerda um estímulo para vencer o desafio diário como auxiliar de operações no supermercado. Ele tem noção de que sua capacidade de trabalho serve de exemplo para os demais colegas.

"Minha deficiência me fez encontrar outros caminhos para ser eficiente, e acabo sendo uma referência na loja. Isso me enche de orgulho", diz Jovaldo.

O 21 de setembro

O Dia Nacional de Luta das Pessoas com Deficiência, oficializado em 2005 pela Lei Nº 11.133, é comemorado desde o ano de 1982. A data foi escolhida porque está próxima do início da primavera, estação conhecida pelo aparecimento das flores. Esse fenômeno representaria o nascimento e renovação da luta das pessoas com deficiência.

De acordo com a Lei Nº 13.146/15, a pessoa com deficiência é aquela que tem impedimento de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, o qual, em interação com uma ou mais barreiras, pode obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas. Assim sendo, o Dia Nacional de Luta das Pessoas com Deficiência surgiu como forma de garantir a integração dessas pessoas na sociedade de maneira igualitária e sem preconceitos.

de contratação. Mas, na Cencosud Brasil, quarta maior supermercadista do país e detentora das bandeiras GBarbosa, Perini, Mercantil Rodrigues, Bretas e Prezunic, apenas em 2019, foram contratados mais de 120 profissionais com esse perfil.

O grupo emprega, ao todo, mais de 1.100 profissionais com deficiências de diferentes níveis, que podem ser classificadas em física, auditiva, visual e mental. A companhia enxerga nesta iniciativa uma oportunidade de ter, em seu quadro, colaboradores compromissados e que valorizem o trabalho.

"Todos são bem-vindos, independentemente da deficiência que possuem. O RH é especializado em selecionar cada um para a vaga correta de acordo com a habilidade, basta que o candidato tenha os requisitos necessários para o cargo", destaca Fábio Oliveira, gerente de Responsabilidade Social da Cencosud Brasil.

Política de Diversidade e Inclusão

A rede se destaca pela adoção de uma política de diversidade e inclusão, que incentiva a contratação e o respeito aos diferentes perfis de colaboradores, em relação à idade, gênero, etnia, orientação sexual, nacionalidade e também a pessoas com deficiência (PCD). 

Para facilitar o contato com clientes e colaboradores surdos, a Cencosud Brasil disponibilizou o curso e-learning sobre a Língua Brasileira de Sinais (Libras). Ele faz parte do plano de capacitação disponível a 100% da companhia, que pode ser assistido durante o horário de expediente com duração de pouco mais de duas horas.

Prezunic 

No caso do Prezunic, no Rio de Janeiro, a rede adotou o sistema de entrevistas de emprego em Libras, a partir de uma parceria com Instituto Nacional de Educação de Surdos, que capacitou duas recrutadoras da empresa para realizar as seleções com candidatos surdos.

Contratada por meio da entrevista em Libras, Mara Luz, 49 anos, é auxiliar de operações no Prezunic Barra, trabalho que garante seu sustento e o de sua filha, a estudante Thaís, de 18 anos.

"Foi a primeira vez que participei de um processo seletivo na minha língua", diz Mara. "A entrevista em Libras me deixou mais segura e aumentou as minhas chances".

Diagnosticado com mielomenincocele - malformação congênita na coluna vertebral - Alessandro Paulo da Silva, 36 anos, trabalha como auxiliar de operações no Prezunic Caxias Centenário, e diz se sentir acolhido na empresa, onde atua há 11 anos.

"Cheguei a ficar 3 anos desempregado e vendi doces na rua, até surgir a oportunidade de trabalhar no Prezunic. Aqui, sou parte de uma família e conto com apoio dos colegas e da chefia", afirma Alessandro.

No Prezunic Botafogo, Jovaldo Farias, 62 anos, faz da atrofia na mão esquerda um estímulo para vencer o desafio diário como auxiliar de operações no supermercado. Ele tem noção de que sua capacidade de trabalho serve de exemplo para os demais colegas.

"Minha deficiência me fez encontrar outros caminhos para ser eficiente, e acabo sendo uma referência na loja. Isso me enche de orgulho", diz Jovaldo. 

O 21 de setembro

O Dia Nacional de Luta das Pessoas com Deficiência, oficializado em 2005 pela Lei Nº 11.133, é comemorado desde o ano de 1982. A data foi escolhida porque está próxima do início da primavera, estação conhecida pelo aparecimento das flores. Esse fenômeno representaria o nascimento e renovação da luta das pessoas com deficiência.

De acordo com a Lei Nº 13.146/15, a pessoa com deficiência é aquela que tem impedimento de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, o qual, em interação com uma ou mais barreiras, pode obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas. Assim sendo, o Dia Nacional de Luta das Pessoas com Deficiência surgiu como forma de garantir a integração dessas pessoas na sociedade de maneira igualitária e sem preconceitos.

Scroll To Top