NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Mari Blue destaca importância da música em novo single

Faixa antecipa novo disco da artista

Canção se une a "Mel e Picada" e "As pessoas não querem o que elas pedem", singles que também estarão no próximo trabalho de estúdio da artista

Divulgação

Mari Blue testa os limites da canção e da MPB em seu novo single, que é uma carta de amor à música e a liberdade que ela proporciona. “A Música Não Existe” traz a artista se desdobrando entre a produção musical, arranjo e mixagem e chega acompanhada de um clipe. A faixa está disponível em todos os serviços de streaming de música.

“Resolvi fazer uma abordagem nada romântica sobre a música, mas colocando-a num lugar potente de afeto, que afeta o mundo e as pessoas. É onde consigo dar conta do recado. Considero esse trabalho uma homenagem para ‘essa coisa’ que move minha vida de forma tão significativa”, diz Mari.

Cantora e compositora mineira radicada no Rio, Mari Blue sempre mesclou sensibilidade e ironia em suas canções. Em sua nova composição, ela mistura referências setentistas, oitentistas e noventistas em uma busca interna pelo que a move a criar.

“Compus essa música em 2017 após um insight que tive ouvindo uma canção que gosto muito, chamada ‘L`amore non esiste’ (O amor não existe, em português). Então busquei desestabilizar qualquer ideal do verdadeiro significado das coisas. Não estou dizendo que música não existe, até porque obviamente existe. O que não existe é ‘a’ música como algo universal que pode ser consagrado. O que é música já mudou muito na história da humanidade, muitos tiveram a ousadia de dizer ‘isso é música’ ou ‘isso não é música’. No final, falaram bastante de si próprios”, reflete.

A canção se une a “Mel e Picada” e “As pessoas não querem o que elas pedem”, singles que também estarão no próximo trabalho de estúdio da artista e trazem o espírito do it yourself, da composição à pós-produção. Este é um momento único na carreira de Mari, que também traz uma trajetória como atriz, mas desde 2011 se dedica exclusivamente à música. Nesses anos ela já lançou três álbuns e acumulou prêmios importantes, como o Festival Nacional da Canção, FEMURC, Festival da Canção Francesa, Festival de Clipes e Bandas 2017 e WebFestValda 2017. Seus dois primeiros discos, “Parte de mim” (2011) e “Parte de Mim 2” (2012), traziam uma artista ainda buscando seu caminho, que ela conquistou em seu último álbum de estúdio, “Fruto da Flor”, de 2016.

“Este é um momento muito mais independente da minha carreira, em que eu assumi o volante de todo o processo criativo. Eu passei muitos anos me preparando para isso. Não tenho muito preciosismo, minha intenção é me expressar da forma mais sensível possível. Certo dia eu percebi que não sou da música, nem do teatro, nem da dança, nem da filosofia, mas eu sou tudo isso”, analisa Mari.

“A Música Não Existe” está disponível em todas as plataformas de música digital.

Assista a “A Música Não Existe”: https://youtu.be/GE6k-5mud-o

Ouça: http://smarturl.it/AMusicaNaoExiste

Scroll To Top