NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Promessas niteroienses do Wrestling no pódio

Nova geração de lutadores brasileiros faturaram três medalhas em torneio no Panamá

Yan Landim (à esquerda) e Gustavo Silva (à direita), subiram no pódio e representaram bem o Brasil e a cidade de Niterói

Divulgação

O wrestling brasileiro encerrou a participação no Pan-americano U-15 2019, realizado no Panamá, com três medalhas no peito de atletas nascidos na cidade de Niterói. No torneio realizado no último fim de semana, encerrado no domingo (03), o grande destaque foi o brasileiro Yan Landim, de apenas 15 anos, que levou pra casa duas medalhas, uma de prata e outra de bronze.

Yan Landim conquistou o bronze na categoria até 44kg do estilo livre. O lutador já havia conquistado a medalha de prata na mesma categoria do estilo greco-romano no primeiro dia de competições. O niteroiense passou por cima de atletas do Panamá, Colômbia, Guatemala, e só foi parado por um atleta americano na grande final, garantindo a medalha de prata.

“Estou muito feliz por ter conquistado as duas medalhas, nada disso seria possível sem a ajuda do meu treinado Fávio Cabral, e sem a força dos meus amigos que treinam diariamente comigo” comentou o atleta.

A equipe nacional ainda foi representada por João Victor Oliveira até 68kg, que não avançou para a fase de disputa de medalhas. Além da prata e bronze de Landim, quem também subiu ao pódio foi outro niteroiense, de apenas 14 anos, Gustavo da Silva. Ele ficou com bronze na categoria até 38kg no estilo greco-romano.

Gustavo fez sua estreia contra o panamenho Samir Marciaga, mostrou repertório de golpes e venceu por superioridade técnica (8 a 0). No segundo combate, o brasileiro sofreu um revés diante do peruano Yover Antezano também por superioridade técnica. Na terceira luta, o brasileiro venceu o oponente da Guatemala Jeremy Raymundo por touche e manteve a chance de lutar pela medalha de ouro. No entanto, Gustavo acabou se machucando no aquecimento para a última luta contra o mexicano Roger Baltazar, mas levou a medalha de bronze para casa.

“Foi muito bom viajar para o campeonato, a emoção foi muito grande, uma experiência incrível. Fico feliz de ter representado bem o Brasil e a cidade de Niterói podendo trazer uma medalha pra casa.” disse o medalhista Gustavo.

Orgulhoso de seus atletas, o treinador Flavio Cabral, elogiou o desempenho da nova geração do wrestling brasileiro.

“É gratificante para um professor ver seus atletas lutando e competindo. Ver eles crescendo numa competição internacional dessa é muito legal. Estamos já planejando as próximas competições pois temos uma ótima geração em mãos.”comentou.

Scroll To Top