NITERÓI/RJ
Min:   Max:

São Gonçalo receberá reforço no policiamento

50 novos agentes serão incorporados ao 7º BPM

O policiamento em São Gonçalo será reforçado. De acordo com o tenente-coronel Gilmar Tramontini, comandante do 7º BPM (Alcântara), a unidade receberá 50 dos 375 novos policiais que irão atuar na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Em relação a outros batalhões, a PM informou, por meio de sua assessoria, que ainda não possui os dados em relação à distribuição dos agentes.

Procurados pela reportagem, os comandos do 12º BPM (Niterói) e do 35º BPM (Itaboraí) informaram que não há previsão para que as unidades sejam contempladas com os novos policiais.

Tramontini afirma que os agentes serão designados para coibir roubos a veículos e pedestres em locais onde houver a mancha criminal: “Os policiais serão aplicados onde a mancha criminal se apresenta. A pé nos locais de roubo de rua e em viaturas nos locais de roubo de veículos”, disse.

Ainda de acordo com o comandante, os policiais iniciarão os trabalhos “tão logo sejam apresentados”. Na manhã de sexta-feira (8), às 9h, acontecerá a cerimônia de formatura dos 375 novos agentes que, depois de 12 meses de curso intensivo no Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CFAP), estarão capacitados a reforçar o policiamento nas ruas.

Segundo a Secretária de Estado de Polícia Militar, Os novos PMs estão entrando em vagas abertas pela aposentadoria ou exoneração de outros policiais. Em respeito ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF), novos servidores só podem ser contratados em caso de vacância.

A turma que será diplomada nesta sexta-feira receberá o nome de “Soldado PM Felipe Santos Mesquita”. Trata-se de uma homenagem ao policial militar que morreu em combate durante confronto com criminosos da Comunidade da Rocinha, em março de 2018.

O Comandante do CFAP, coronel Marcelo Teixeira, destaca um módulo inédito cumprido por essa nova turma e que passará a ser adotado nos próximos cursos: treinamento prático nas ruas do bairro de Sulacap sob observação a distância pelos instrutores do CFAP.

“Esse treinamento, realizado já no final do processo de formação, permite que o aluno pratique todas as rotinas que encontrará no batalhão, como, por exemplo, apanhar a arma na RUMB (Reserva Única de Material Bélico) da unidade, preencher papeletas e conduzir ocorrências para delegacia da área”, explica o coronel Teixeira.

A experiência foi um sucesso. Além de habilitar mais rapidamente o policial a iniciar seu trabalho na unidade para onde for distribuído, a ronda real exercida pelos alunos no final do curso contribuiu para reforçar a segurança do bairro.

“A comunidade local chegou a estender uma faixa de agradecimento aos alunos e ao CFAP pela iniciativa”, contou ainda o coronel Marcelo Teixeira. Durante esse trabalho prático, os formandos conduziram 26 ocorrências para 33ª DP (Realengo), entre as quais tráfico de drogas, porte ilegal de arma e recuperação de veículos roubado.

(Com Governo do Estado do Rio de Janeiro)

Scroll To Top