NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Grande Rio registra mais de 40 idosos baleados em 2019

Do total, 25 foram vitimados por balas perdidas

Número de idosos baleados apresentou queda em 2019

Raphael Alves/ TJAM

A região do Grande Rio registrou o número de 40 idosos baleados no ano de 2019, de acordo com levantamento da plataforma Fogo Cruzado. Deste número, 25 foram vítimados por balas perdidas. O número representa um recuo de 3% em relação ao índice de 2018, quando 43 idosos foram baleados naquele ano.

Do número total, 24 não resistiram aos ferimentos. Representando 61% dos casos de idosos baleados no Grande Rio, as balas perdidas não foram a única forma de vitimar idosos: 10 foram vítimas de homicídios ou execuções e outros 8 foram baleados durante assaltos (4 mortos e 4 feridos).

Vítima de execução, o advogado Jorge Pires Vieira, de 67 anos, foi morto com 3 tiros dentro de casa, em 8 de novembro, no bairro Jardim Meriti, em São João de Meriti, Baixada Fluminense. Depois do crime, a esposa de Jorge, a professora aposentada Márcia Menezes passou mal e foi levada às pressas para uma UPA. Márcia teve um AVC e morreu.

A cidade do Rio de Janeiro, assim como em 2018, concentrou o maior número de baleados também em 2019: 13 (5 mortos e 8 feridos). Apesar de aparecer em segundo lugar no ranking do total de baleados (12), São Gonçalo, no Leste Metropolitano, foi a cidade mais letal para idosos em decorrência da violência armada no Grande Rio: foram 9 mortos e outros 3 feridos. Em relação a 2018, houve um aumento de 167% no número de mortos no município, quando 3 idosos foram mortos a tiros.

Na sequência do ranking dos cinco primeiros municípios com mais baleados, ficaram Niterói, com 5 baleados (2 mortos e 3 feridos); Belford Roxo, com 4 baleados (2 mortos e 2 feridos); e Maricá, com 2 mortos.

Scroll To Top