NITERÓI/RJ
Min:   Max:

PM do Rio atua em 27 pontos para isolamento sanitário da capital

Cinturão restringe o acesso à cidade do Rio de Janeiro

Polícia Militar do Rio de Janeiro trabalha para conter a intensidade da disseminação do novo coronavírus

Tânia Rêgo/Agência Brasil

A Secretaria de Estado de Polícia Militar informou nesta segunda-feira (23) que está em 27 pontos de atuação do cinturão de isolamento sanitário abrangendo a capital fluminense para diminuir o fluxo de passageiros nos transportes públicos. A ação visa a ampliar o isolamento social para conter a intensidade da disseminação do novo coronavírus (covid-19) no estado do Rio de Janeiro.

Esse cinturão restringe o acesso à cidade do Rio de Janeiro por meio de transporte público e de veículos pedidos por aplicativo para transporte de passageiros. Segundo a Polícia Militar, os veículos vindos de outros estados que se dirijam à capital não serão impedidos em seu deslocamento, desde que não estejam atuando como transporte de passageiros.

"Até o momento, não há ocorrências significativas relacionadas ao cinturão de isolamento social devido ao apoio e à colaboração da população diante da medida preventiva adotada pelas autoridades competentes e operacionalizada pela Polícia Militar. A metodologia aplicada ao cinturão está em constante aperfeiçoamento para evitar filas e minimizar outros impactos na vida do cidadão", diz a nota da polícia.

Redução no fluxo de passageiros

A concessionária SuperVia registrou redução de 135.554 passageiros no sistema ferroviário do início da operação de hoje (23) até as 9h, o que corresponde a uma queda de 66,4% no movimento em comparação a uma segunda-feira comum.

Com a suspensão da circulação dos ônibus intermunicipais, o trem se tornou o único transporte coletivo que dá acesso aos passageiros que chegam à cidade do Rio oriundos dos municípios da Região Metropolitana.

Segundo a SuperVia, desde a última segunda-feira (16), já foi observada uma redução acumulada de 1.580.667 passageiros que estariam utilizando o sistema ferroviário na região metropolitana do Rio.

Cuidadores de idosos

A Secretaria Estadual de Transportes informou que já está disponível o documento que permitirá o embarque nos transportes públicos de cuidadores de idosos que não têm vínculo empregatício e, dessa forma, não têm como comprovar que fazem parte do grupo de trabalhadores de setores definidos como essenciais.

Após o download, o documento deve ser preenchido por um membro da família do idoso, que se responsabilize pela veracidade das informações apresentadas. Concluída essa etapa, esse arquivo deve ser salvo e enviado, junto com a cópia da identidade do declarante, por WhatsApp ou por e-mail, para o profissional que presta o serviço.

Dessa forma, a documentação pode ser apresentada nas triagens realizadas pela Polícia Militar nas estações de trem, metrô e barcas, com o apoio de funcionários das concessionárias.

Filas

No primeiro dia de restrições do funcionamento de transporte intermunicipal no Grande Rio, passageiros enfrentaram nesta segunda-feira (23) grandes filas em estações de trem e metrô. As filas concentram dezenas de pessoas, que precisam comprovar aos policiais militares que trabalham em serviços essenciais definidos pelo governo do estado.

Desde sábado (21), devido à pandemia do novo coronavírus, o governo do Rio de Janeiro suspendeu as linhas de ônibus intermunicipais que ligam outros municípios do Grande Rio à capital, fechou dez estações de trem na Baixada Fluminense e permitiu acesso aos transportes ferroviário e aquaviário intermunicipais apenas para trabalhadores de serviços essenciais.

Scroll To Top