Ministro destaca avanços na inserção de trabalhadores migrantes no Brasil

Atualidades
Tpografia
  • Mínimo Pequeno Médio Grande Gigante
  • Fonte Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

Manoel Dias, Ministro do Trabalho e Emprego, manifestou satisfação por verificar o reconhecimento dos demais governos com os avanços do Brasil nesta área

Foto: Arquivo/Agência Brasil

O ministro do Trabalho e Emprego, Manoel Dias, participou na última terça-feira (23) da abertura do Seminário Mercosul: Inserção de Imigrantes no Mercado de Trabalho, na sede da Confederação Nacional do Comércio (CNC). Delegações do Paraguai, do Uruguai, da Argentina e da Venezuela, além de representantes da Organização Internacional do Trabalho (OIT), estiveram no encontro, que prossegue até sexta-feira (26).

Dias manifestou satisfação por verificar o reconhecimento dos demais governos com os avanços do Brasil nesta área. "Essa conjuntura permite que o mundo, sustentado nas nossas experiências, possa tratar dessa questão fundamental, que são os trabalhadores migrantes, com amplitude e responsabilidade social.”

O ministro disse que a migração crescente de pessoas em busca de mais oportunidades de trabalho tem motivado a todos e destacou a necessidade de acordos que contribuam para melhoria da qualidade de vida dos trabalhadores migrantes.  "O aumento do fluxo de trabalhadores imigrantes é forçado por políticas internacionais equivocadas, que provocaram a instabilidade de países do Oriente Médio e, no caso do Caribe, por desastres naturais”, afirmou.

Segundo Manoel Dias, o Brasil recebeu em torno de 50 mil haitianos, a maioria empregados em indústrias de carnes nos estados do Sul, com maior incidência em Santa Catarina. “Isso representa não só a política de aceitação do Brasil, mas a grande contribuição que esses trabalhadores dão ao desenvolvimento do país.”

No encerramento do seminário, Manoel Dias presidirá a Reunião de Ministros de Trabalho do Mercosul, quando haverá intercâmbio sobre a agenda de trabalho dos órgãos envolvidos, com destaque para a discussão e deliberação sobre a nova Declaração Sociolaboral e a proposta de Plano Estratégico Mercosul de Emprego e Trabalho Decente.