Ameaça de invasão faz Caixa pedir segurança

Cidades
Tpografia
  • Mínimo Pequeno Médio Grande Gigante
  • Fonte Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

Os conjuntos residenciais Zilda Arns I e II, na Teixeira de Freitas, bairro do Fonseca, Zona Norte de Niterói, podem receber reforços para vigilância das obras, que estão quase concluídas. A Caixa Econômica Federal (CEF), responsável pelo financiamento dos imóveis, recebeu informações sobre uma possível invasão nos empreendimentos e, por isso solicitou reforços à Prefeitura de Niterói.

Segundo um dos funcionários da obra, os apartamentos estão fechados e em fase final para entrega das chaves. Nenhum tipo de vigilância reforçada foi oferecida.
“A obra conta com a vigilância de funcionários direcionados pela empresa e não existem moradores nas casas”, comentou.

Obras – Há dois anos, os blocos 3 e 5 do Zilda Arns I e II foram condenados por rachaduras e tiveram que ser demolidos e refeitos. Os conjuntos habitacionais estão enquadrados no Programa Minha Casa Minha Vida do Governo Federal. O custo do Zilda Arns I é R$ 4.896.946,78 e do Zilda Arns II é R$ 18.774.818.

As 374 unidades habitacionais receberão famílias que perderam suas casas na tragédia das chuvas de 2010 – entre elas, 84 que ficaram abrigadas no antigo 3º Batalhão de Infantaria (BI), 19 que viveram no prédio abandonado conhecido como “Esqueleto”, em Riodades, e as demais de outras áreas do município atingidas pelas fortes chuvas. Em nota, a Caixa informou que solicitou apoio dos órgãos públicos responsáveis para o Residencial Zilda Arns como medida preventiva. O banco disse ainda que a data de entrega será definida em conjunto com a Prefeitura de Niterói e a construtora responsável.

Com Cícero Borges