ISP divulga novo balanço da violência

Cidades
Tpografia
  • Mínimo Pequeno Médio Grande Gigante
  • Fonte Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

Coronel Fernando Salema diz que mudanças no patrulhamento contribuiu para reduzir vários indicadores

Foto: Julio Silva/Arquivo

Os números de furtos e homicídios dolosos (quando há a intenção de matar) subiram em Niterói e Maricá no mês de dezembro do ano passado em comparação com o mesmo período de 2014, segundo dados do Instituto de Segurança Pública (ISP) divulgados nesta terça-feira (19). De acordo com o ISP, foram 11 homicídios em 2015 contra 10 em dezembro de 2014 (+10%). Furtos cresceram de 97 para 111 casos (+14%). Em contrapartida, diversos índices de crimes registraram queda, como roubo a estabelecimentos comerciais, que caíram de 39 para 24 casos (-38%), roubo de veículos, de 145 para 118 (-18%), e roubo a pedestres, que caiu de 313 casos em dezembro de 2014 para 232 registros em 2015 (-25%).

Outros índices também apresentaram queda em dezembro, segundo o ISP. Roubo em coletivos, por exemplo, caíram de 31 casos para 17 (-19%). Roubos de celulares também caíram de 36 para 34 casos (-5,5%). Segundo o coronel Fernando Salema, comandante do 12º BPM (Niterói), a queda nos índices de criminalidade aconteceram mediante a estratégia utilizada nos horários considerados mais críticos na mancha criminal. “Percebemos que foi preciso antecipar a troca de turno, além de reforçamos o policiamento em áreas que antes eram consideradas mais problemáticas. É importante reforçar que os índices caíram porque as vítimas fizeram registro de ocorrência, o que norteia a atuação da polícia para ações posteriores”, ressaltou. 

Infrator – O indicador Apreensão de Adolescentes apresentou o maior número da série histórica no Estado: foram 10.262 adolescentes encaminhados ao sistema socioeducacional (aumento de 22,5% em comparação com 2014) e 11.590 encaminhados às Delegacias de Polícia Civil do Estado. Os dados são referentes aos Registros de Ocorrência (RO) lavrados nas delegacias durante o ano de 2015.

A produtividade policial também apresentou números positivos. Em 2015 foram 28.089 apreensões de drogas, o maior número de toda a série histórica (iniciada em 1991). A polícia também apreendeu 8.920 armas no ano passado, sendo 340 fuzis.