Lei Seca participa da campanha Maio Amarelo

Cidades
Tpografia
  • Mínimo Pequeno Médio Grande Gigante
  • Fonte Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

Cerca de 90 ações para um trânsito mais seguro estão programadas pela equipe de educação para este mês

Divulgação / Governo do Estado

Com o slogan “No trânsito, o sentido é a vida”, a Operação Lei Seca entra pelo 6º ano consecutivo na campanha Maio Amarelo. Cerca de 90 ações de conscientização para um trânsito mais seguro estão programadas pela equipe de educação para este mês. Dentre elas palestras, caminhadas, pedalada, ações de divulgação em redes sociais e distribuição de material educativo.

Durante este mês a equipe de educação da Operação Lei Seca, cujos integrantes são pessoas com deficiência, irá realizar 29 palestras em empresas, 33 em escolas e uma em órgão público.  Mas este número pode aumentar já que os interessados em agendar palestras devem ligar para 21 2334-3218 ou enviar e-mail com a solicitação para [email protected]

Em parceria com outros órgãos municipais, estaduais e da sociedade civil, a Operação Lei Seca participará da corrida Wings for Life, no próximo domingo, dia 5 de maio, do posto 12 (Praia do Leblon) ao Aterro do Flamengo; da Caminhada da Paz, no dia 19 de maio, em Copacabana; do evento esportivo Rei e Rainha do Mar, na Praia de Copacabana; da Pedalada da Paz, no dia 26 de maio, no Parque de Madureira, entre outros eventos. Nesses dias haverá atividades educativas para o público infantil e adulto.

“Assim como o lema da campanha Maio Amarelo “No trânsito, o sentido é a vida”, a Operação Lei Seca tem cumprido diariamente a missão de salvar vidas. Ao longo dos 10 anos conseguimos mudar os hábitos da população fluminense, que entendeu sobre os riscos fatais da combinação álcool  e direção”, conta a coordenadora da Operação Lei Seca, delegada Verônica de Oliveira.

As blitzes diárias de fiscalização também serão intensificadas neste mês. Ao todo serão 180 ações, distribuídas pela Capital, Região Metropolitana, Interior e Rodovias Estaduais, onde ainda é alto o índice de acidentes de trânsito. 

Números - Os dados levantados pelo Detran.RJ mostram também que, no ano passado, a capital fluminense teve o maior número de vítimas do estado, com 43,45% do total, ou 12.189 pessoas. A seguir, vieram São Gonçalo, com 1.710; Niterói, com 1.504; Nova Iguaçu, com 1.240; e Duque de Caxias, com 1.159, todos municípios da Região Metropolitana.

Nas demais regiões, as cidades que registraram maior número de vítimas em acidentes de trânsito foram Três Rios e Vassouras, no Centro Fluminense; Araruama e Cabo Frio, na Região dos Lagos; Itaperuna e Santo Antônio de Pádua, no Noroeste Fluminense; Campos dos Goytacazes e Macaé, no Norte Fluminense; Volta Redonda e Barra Mansa, no Médio Paraíba; Petrópolis e Teresópolis, na Região Serrana; e Angra dos Reis e Paraty, no Sul Fluminense. 

Movimento - O Movimento Maio Amarelo surgiu com a proposta de alertar a sociedade para o alto índice de mortos e feridos em acidentes de trânsito. Apesar do número de acidentes de trânsito com vítimas e da quantidade de feridos e mortos terem caído em 2018 no Estado do Rio de Janeiro, 39% desses mortos foram vítimas de atropelamentos (segundo dados do Dossiê de Trânsito do Detran-RJ).