Lendária banda Azymuth faz única apresentação na UFF

Entretenimento
Tpografia
  • Mínimo Pequeno Médio Grande Gigante
  • Fonte Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

José Roberto Bertrami, Ivan Conti e Alex Malheiros integram a banda Azimuth.

Foto: Divulgação

A série Música Instrumental Brasileira apresenta nesta quinta (10), às 20h, no Teatro da UFF, a icônica banda Azymuth.

Uma das bandas mais influentes do Brasil, tem em sua discografia mais de 30 álbuns que consolidam uma carreira que se estende por mais de 45 anos. Combinando soul, funk e jazz com samba, a banda é responsável por criar um som e um estilo próprios ao qual deram o nome de Samba Doido.

Tanto no palco principal do Montreux Jazz Festival como no North Sea Jazz Festival, fazendo um groove no Blue Note em Nova York, Tóquio e Milão, no Ronnie Scott’s em Londres ou no Vienna’s intimate Birdland Club, o Azymuth impressionou e ainda impressiona o público com sua sonoridade única.

Sua história teve início nos anos 1960, no Rio de Janeiro. A cena da Bossa Nova e do jazz estava emergindo. O Rio era o melhor destino para as celebridades do mundo. Copacabana era o centro da criatividade. Morando no mesmo bloco de apartamentos e enquanto tocavam como músicos em bares, José Roberto Bertrami, Ivan Conti e Alex Malheiros decidiram começar a gravar juntos.

No início dos anos 1970, antes deles realmente causaram rebuliço no meio musical, Marcos Valle convidou o trio para gravar o LP da trilha sonora que homenageia o grande piloto de Fórmula 1 brasileiro, Emerson Fittipaldi “O fabuloso Fittipaldi”. Após o sucesso da trilha no Brasil, eles perguntaram ao Marcos Valle se poderiam usar o nome de uma das faixas (Azimuti) do disco, como o nome da nova banda. Dá a origem do nome da banda.

Desde então, se estabeleceu como uma das maiores bandas de jazz do mundo e o álbum “Aurora”, que comemorou seus 35 anos de formação, os colocou como “provavelmente, a banda brasileira de maior sucesso no exterior”. Juntos, a original orquestra de três mestres (como é citado no exterior), o Azymuth criou o disco mais atraente desde as gravações do primeiro compacto “Azimuth” e “Light as a feather”, recriando aquela sonoridade clássica dos antigos “Jazz Carnival”, “Partido Alto” e “Dear Limmertz”.
O Teatro da UFF fica na Rua Miguel de Frias, 9, Icaraí, em Niterói. Quinta (10), às 20h. Preço: R$ 50 (inteira). Classificação: livre. Telefone: 3674-7515.