Interior terá 2 milhões de turistas

O Flu na Folia
Tpografia
  • Mínimo Pequeno Médio Grande Gigante
  • Fonte Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

Com 100% dos hotéis ocupados, o balneário de Búzios ficará lotado entre os dias 6 e 13 de fevereiro

Divulgação

Mais de dois milhões de turistas devem visitar o interior do Estado durante o carnaval, entre 6 e 13 de fevereiro, segundo a Secretaria de Turismo/TurisRio. A maioria das cidades já fechou sua programação para os dias de folia: são mais de 500 blocos de rua e escolas de samba confirmados para desfilar.

A cidade de Niterói terá 100 blocos de rua, um aumento de 40% em relação a 2015, de acordo com dados da prefeitura.

A ocupação hoteleira também está em alta. Búzios, por exemplo, tem 100% dos quartos reservados. O destaque da Região Serrana fica por conta de Petrópolis que já supera 95% de reservas, enquanto Angra dos Reis, Mangaratiba e Itatiaia estão com 90% de ocupação.

“Assim como no Réveillon, esperamos superar expectativas de lotação hoteleira neste carnaval. Os números incentivam o trade a investir cada vez mais na qualidade dos serviços e equipamentos turísticos”, afirmou o secretário de Turismo, Nilo Sergio Felix. 

Na capital, o número de turistas que chegará à cidade em cruzeiros nacionais e internacionais este ano, será 85% maior em relação a 2015. Em 2016, 130 mil pessoas desembarcarão no Rio de Janeiro nos oito dias de carnaval, contra 70 mil que chegaram no ano passado. A quantidade de turistas reforça um recorde: somente no domingo (7/2), 11 navios atracarão no Terminal de Cruzeiros do Píer Mauá.

A cidade do Rio terá 505 blocos desfilando por ruas e avenidas, entre 16 de janeiro e 14 de fevereiro, além das escolas de samba que se apresentam na Marquês de Sapucaí, arrastando milhares de pessoas pelas ruas da cidade.

“A cidade do Rio recebe cerca de 6 milhões de turistas brasileiros e estrangeiros por ano. Por isso, criamos o programa Rio+3 para que essas pessoas se sintam estimuladas a conhecer também municípios a até três horas de viagem”, disse o secretário.